Arquivo do autor:Vinicius

Sobre o excesso

Quem bebe vinho e o traz em seu sangue e nome, sabe que o poder da embriaguez é o de trocar, no mínimo, o mundo da certeza pelo da incerteza. E isso é bom. Um certo senhor alemão, falecido em … Continuar lendo

Publicado em Tragédia, Vinho | Marcado com , | Deixe um comentário

Mau negócio (miniconto)

Depois de acordar mais cedo que os empregados da casa, um empresário, sentado na privada de louça inglesa de seu banheiro de quarenta metros quadrados, lê o jornal do dia. No caderno de economia, descobre que o fundo de ações … Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Cimento (poema fúnebre n.º 2)

  Cimento Cimento fresco que respinga e bate no branco da parede do futuro túmulo de minha mãe. Cimento seco que gruda e endurece à volta da lápide do agora leito de meu pai. Cimento eterno da pá do coveiro, … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Cinismo moderno

“A velha social-democracia anunciara o slogan ‘saber é poder’ como judiciosa receita prática. Pretendia-se afirmar que uma pessoa devia aprender qualquer coisa como deve ser, para, mais tarde, vir a melhorar sua situação. O dito era ditado por uma fé … Continuar lendo

Publicado em Cinismo, Filosofia | Marcado com , | Deixe um comentário

Destroços (conto)

Uma porta se abre e uma corrente de ar varre a sala. O fogo na lareira oscila. A umidade escorre pelas paredes da casa. Folhas de jornais abertas pelo chão cobrem o caminho por onde todos passam, na sala, no … Continuar lendo

Publicado em Contos, Literatura Brasileira, Literatura gaúcha | Marcado com , , | Deixe um comentário

A justiça como eqüidade, segundo John Rawls

Segue, abaixo, fábula que ilustra, da maneira mais didática possível, o argumento favorável à justiça como eqüidade. O trecho (que modifiquei aqui para efeito ultra-pedagógico) foi retirado do livro “Uma teoria da Justiça, de John Rawls”, e é de autoria … Continuar lendo

Publicado em Ética, Direito, Filosofia | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

O velho vendedor de maçãs (tradução de “The old apple-dealer”, de Nathaniel Hawthorne)

Abaixo, minha tradução para as primeiras linhas de “The old apple-dealer”, de Hawthorne (Tales and Sketches, The Library of America, 1982).  A intenção foi manter o tom oitocentista. THE OLD APPLE-DEALER The lover of the moral picturesque may sometimes find what … Continuar lendo

Publicado em Literatura norte-americana, Tradução, Translation | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário