Como (não) dar presentes

nietzsche

 

Como diria Nietzsche, em Aurora (464), presentear alguém deve ser algo feito da maneira mais anônima possível. Nada mais presunçoso do que presentear com aquele sorriso piegas no rosto. A Natureza, quando nos presenteia com sol ou com uma chuva necessária, não o faz com intenção piedosa ou piegas; fá-lo sem sentido inerente, gratuitamente. São os cristãos, afirma Nietzsche, que dizem ser o sol ou a chuva um presente de Deus. Mas estão errados, erradíssimos. A pieguice cristã, além disso, coloca no presentear uma espécie de querer: aquele querer de afago e de retribuição, a necessidade de sentir-se lambido por um cachorro, o que faz da caridade cristã o mais abominável dos sentimentos. Em suma: presentear é bom, mas há um como presentear a ser observado.

 

 

 Texto escrito em 10/05/2006
Anúncios
Esse post foi publicado em Cristianismo, Natal, Religião e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Como (não) dar presentes

  1. Laz disse:

    Fascinating Sammy!!! Vou passar para alguns cristaos que conheço.

  2. Vinicius disse:

    Lázaro, cuidado para não ofendê-los, pelo amor de Deus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s