Arquivo da categoria: Viagem

Nota a um professor desconhecido

Prezado professor, Não sei quem foste, mas sei que morreste. Sei que morreste porque comprei os teus livros. Não todos, porque eram muitos. Mas o suficiente para que, ao menos, esta nota saísse.  Teus livros estavam dispostos às centenas, todos … Continuar lendo

Publicado em Cariocas, Cotidiano, Crônica, Epistolário, Largo da Carioca, Professores, Rio de Janeiro, Sebos | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

De volta ao país do Carnaval (passando por um “festival” de Jazz)

Não vou discorrer aqui sobre as maravilhas do Carnaval brasileiro, até porque, se delas fosse falar, teria de obrigatoriamente volver ao passado, momento em que eu, jovem, ainda descortinava prazeres –  mundanos, é bem verdade – em apreciar glúteos e … Continuar lendo

Publicado em Carnaval, Jazz no Rio de Janeiro, Música, Rio de Janeiro, Sociedade brasileira | Marcado com , , , , | 2 Comentários

A geografia do centro do Rio de Janeiro, com o auxílio de Machado de Assis

“[…] Era a primeira vez que as duas irmãs iam ao morro do Castelo. […] Natividade ia pensando na cabocla do Castelo. […] Não deu pela Praia de Santa Luzia […]” (Esaú e Jacó, Capítulos 1 e 4) Já pensou o … Continuar lendo

Publicado em Brasil, Geografia urbana, Literatura Brasileira, Rio de Janeiro, Viagem | Marcado com , , , , | 2 Comentários

Diários da descoberta da América – resenha para preguiçosos

Esta é uma resenha que escrevi há uma dúzia de anos, para não reler os Diários integralmente. Alunos brasileiros, algo me diz, farão bom uso dela para não ler o livro. Macunaíma vive. O texto dos Diários da descoberta da … Continuar lendo

Publicado em História, História das Américas, Viagem | Marcado com , , , | 4 Comentários

Inspirado em Pascal, Pensamentos 139 e 339

 Contentar-se em fazer, fazer e fazer, em não silenciar, em jamais parar. É esse o espírito da materialidade rasteira que governa os espíritos de homens que apenas constroem com as mãos – e em última análise para o estômago – objetos bem … Continuar lendo

Publicado em Filosofia, Reificação, Viagem | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Escrito à sombra de um obelisco

    O velho que me olha com olhar de avô, não é, é claro, meu avô. Muito menos meu pai, morador hipotético e emérito desta cidade. Estou à sombra de um ícone grego, escrevendo em português, falando em português, … Continuar lendo

Publicado em Buenos Aires, Família, Viagem | Marcado com , , , | Deixe um comentário